Uma Jogada de Mestre

São Caetano joga mal e perde mais uma no Paulistão

05 FEV 2018
05 de Fevereiro de 2018

Azulão volta a perder com futebol sofrível. Desta vez o algoz foi o Mirassol, que venceu pelo placar de 2 a 0, em pleno estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul. Após ser derrotado na quinta rodada do Campeonato Paulista, no último domingo (04/02), e acumular quatro derrotas em cinco jogos, o time do ABC continua na última posição do Grupo B, com 3 pontos, e entra na zona de degola, na 15ª posição.

O último jogo da rodada, a ser realizado na noite desta segunda-feira, entre Linense e Ferroviária, ainda pode deixar o time de Luiz Carlos Martins, que começa a balançar no cargo, na lanterna da competição, caso a Ferroviária vença a partida.

O resultado não poderia ter sido melhor para o time do interior paulista. Com a vitória, o Leão da Araraquarense continua na briga por classificação à próxima fase, e de quebra se afastou um pouco mais da zona de rebaixamento. Ocupa a 12ª posição na classificação geral.

Bola rolando

A primeira etapa foi de total domínio do Mirassol. O time do técnico Moisés Egerl trocava passes sem ser importunado. As principais jogadas ocorreram pelo lado direito do campo, com o lateral Danilo Boza, o melhor em campo. 

Jogadores do Mirassol trocam passes com facilidade (Foto: Alex Ricardo / Rádio Imigrantes)

O Azulão subia timidamente ao campo adversário, em um ou outro contra-ataque, mas que resultava em bola alçada na área e defesa rechaçando. A melhor jogada do time azulino foi com bola trabalhada pelo meio, com passe de Chiquinho para o atacante Carlão, que saiu cara a cara com o goleiro Fernando Leal. Melhor para o goleiro, que soube dividir o lance e fechar o canto esquerdo do gol.

Gooollll do Leão

Aos 36 minutos da etapa inicial, falta pela meia direita e jogada ensaiada. Gilsinho deixa o cruzamento para Rodolfo, que levanta no segundo poste. Léo Baiano cabeceia no travessão. Na sobra, Marlon Farias escora de coxa para o fundo do gol. 1 a 0.

Após a abertura do placar, o panorama da partida continuou o mesmo, com o Mirassol tendo total liberdade para trabalhar a bola, apesar de falhar muito nas conclusões a gol. Na descida para o vestiário, o técnico Luiz Carlos Martins reconhecia o fraco futebol desenvolvido pela equipe.

Pouca efetividade

Na volta para o segundo tempo, o Azulão retornou com uma mudança. O volante Régis foi sacado para a entrada do atacante Diego Rosa, que pouco tocou na bola. O São Caetano bem que tentou esboçar uma reação, mas não conseguia trabalhar a jogada final com os atacantes. Chiquinho foi o mais lúcido em campo, apesar de errar alguns passes e bater uma falta de forma bisonha, teve a chance de descontar ao cobrar falta no canto alto esquerdo, porém com pouca força. Na outra oportunidade, entrou na área se livrando de dois marcadores e chutou cruzado, obrigando o goleiro Fernando a espalmar, em linda defesa.

Chiquinho sofre dupla marcação e é desarmado (Foto: Alex Ricardo / Rádio Imigrantes FM)

Apesar de não ter mais aquela força inicial da partida e domínio, o Leão mantinha boa postura defensiva e saia em rápidos contra-ataques. Em um deles, Gilsinho quase amplia ao chutar bola rasteira no canto esquerdo. Helton se estica todo, e com as pontas dos dedos, manda para escanteio.

Mais um!!!

Em um tiro de meta de Fernando Leal, a bola estava sob controle do lateral-direito Alex Reinado, que tentou despachar para o ataque, porém, após desvio em Douglas Baggio, sobrou para Zé Roberto, que se livrou do marcador e chutou com curva no canto médio esquerdo de Helton, para fazer 2 a 0, aos 31 da etapa final e fechar a conta.

Diz aí...

Estamos quase na metade da competição estadual, que terá 12 rodadas e os dois últimos colocados no geral, descem para a Série A2 do ano que vem. Até agora o Azulão não conseguiu encaixar um estilo de jogo. Tem sido presa fácil para os adversários. A torcida começa a cobrar o técnico e pedir sua saída. 

Quase 2 mil torcedores foram ao Anacleto e não gostaram do viram (Foto: Alex Ricardo/Rádio Imigrantes)

A próxima semana será decisiva para a permanência do técnico Luiz Carlos Martins no comando da equipe, pois o São Caetano estreia na Copa do Brasil, na quarta (07/02), às 19h30, e recebe no Anacleto Campanella o Criciúma. Nesta fase, o mandante tem a obrigação de ganhar. Em caso de empate o time visitante avança à próxima fase.

O Mirassol também não vive um bom momento e deve continuar brigando para não cair, porém, se praticar o futebol apresentado no último jogo, tende a permanecer na elite do estadual.

Ficha técnica

São Caetano: Helton Leite; Alex Reinaldo, Domingues, Sandoval © e Bruno Recife; Esley (Ferreira), Régis (Diego Rosa), Vinícius Kiss (Paulo Vinícius) e Chiquinho; Carlão e Marlon. Técnico: Luiz Carlos Martins

Mirassol: Fernando Leal; Danilo Boza, Jesiel, Edson Silva e Marlon Farias; Wellington Reis (Djavan), Léo Baiano, Paulinho (Luís Oyama) e Rodolfo; Gilsinho (Zé Roberto) e Douglas Baggio. Técnico: Moisés Egerl

Gols: Marlon 36’1T e Zé Roberto 31’2T (Mirassol)

Cartões amarelos: Régis, Bruno Recife, Esley e Carlão (São Caetano); Marlon e Jesiel (Mirassol)

Árbitro: Adriano de Assis Miranda

Assistentes: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo e Luiz Alberto Andrini Nogueira

Quarto árbitro: Rodrigo Batista da Silva

Público/Renda/Despesas: 1939 torcedores / R$ 14.990,00 (-R$ 29.263,74)

Destaque final: Após a rodada do meio de semana pela Copa do Brasil, o Azulão volta a jogar pelo Paulistão no sábado (10/02), às 19h – enfrentando o Red Bull Brasil, no Anacleto Campanella. Já o Mirassol recebe o Palmeiras no mesmo dia e horário, no E.M. José Maria de Campos Maia, em Mirassol.

p/Manuel Leiria / Rádio Imigrantes FM

Voltar

 Uma Jogada de Mestre